sexta-feira, 11 de junho de 2010

14 - A SESSÃO

(Julgamento inédito no Brasil realizado pelo TRT da Paraíba em 06/2010, condenando exploradores sexuais de crianças e adolescentes no pagamento de dano moral coletivo)

No pleno, o cenário
Era de grande tensão
Todos faziam silêncio
Vai começar a sessão

Convidados a retirar-se
Quem parte da lide não fazia
Pois na justiça, em segredo
O processo assim corria

Inicia o relator
Do seu voto a leitura
Defende a tese contrária
Fazendo a linha dura

Apresentou até tese
Que já se acreditava superada
Retrocedendo o processo
Ao início de sua jornada

Mil argumentos defende
Com veemência e paixão
Mas nestes não transparecem
Nenhum sentimento ou emoção

Em seguida o revisor
Que contrário era acreditado
Deu um show inesperado
No voto apresentado

Defendeu com inteligência
a causa da inocência
mas digamos que pecou
pelo excesso de prudência

Agora o Procurador
faz sustentação oral
Sublime em seus argumentos
Fiel a seu ideal

Parecia um guerreiro
Firme, forte, altaneiro
no meio daquela sala
enfrentando a batalha

Com sua verve brilhante
repleto de argumentos
buscou em todos os instantes
A defesa dos infantes

Momento de grande apreensão
foi quando houve empate
da competência atuante
quase o coração se abate

Após, os demais julgadores
Apresentaram seus votos
Alguns merecem louvores
Outros, meros seguidores

Depois de três horas estafantes
De discussões aguerridas
Chegou enfim o instante
De por um fim nessa lida

Na decisão prolatada
dotada de ineditismo
dos treze, onze exploradores
Pagam por dano moral coletivo

Se o resultado, afinal
Não procedeu no total
O importante, entretanto
É que o bem venceu o mal.

6 comentários:

  1. Queria poder estar lá para asssistir , não pude, mas com suas palavras me vi sentadinha , quieta observando tudo e torcendo pelo BEM.
    Abraços amiga, Deus lhe deu esse dom maravilhoso aproveite bem.
    beijos
    Raquel

    ResponderExcluir
  2. No dia como foi dito, mutia tensão e trabalho, tentado fazer o melhor, não pude na ocasião ver com o coração aquele momento histórico. Agora passados os dias me deparo com um retrato emocionante e fiel de uma sessão inédita, que muito orgulho traz a todos que lutam por justiça. Ana Cláudia

    ResponderExcluir
  3. Carol - Campos/RJ16 de junho de 2010 05:48

    Fácil se sentir presente (de corpo e alma) no Tribunal com sua admirável descrição.
    Emoção, justiça, indignação, fé, angústia e alívio são sentimentos que vibram num coração que trabalha em busca dessa proteção e colhe o resultado com satisfação!!!
    Parabéns pelo lindo poema!

    ResponderExcluir
  4. Não deixo de me admirar com o talento e sensibilidade de quem consegue traduzir em poesia o significado de momentos tão cruciais. Ainda mais em se tratando de uma coadjuvante estratégica de todo o episódio narrado, capaz de nele enxergar todas as nuances e delas falar com genuína emoção.
    Parabéns!! Guilherme Ferraz

    ResponderExcluir
  5. jenete! li seu texto... muito bom. mais uma vez, seu talento à mostra. parabéns!
    fico muito feliz que o bem tenha vencido o mal... isso nos fortalece, ao vermos que nem todas as batalhas estão perdidas.
    um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Ola Jenete ! Parecia que estava presente, vendo a cena. Parabéns pelo relato poético.

    ResponderExcluir